... Por 1 Canudo!

Mas que blog!!! C'um camandro, era mesmo disto que eu estava à espera para mudar a minha vida. Não voltarei a usar o "Vaporeto Titânio". Agora tenho o blog "Por um Canudo"... E tem assim, letras e... coisas. Fala de coisas...

quarta-feira, janeiro 12, 2005

Porque somos bracarenses?

O Pedro tem 8 anos e é sócio do Sporting de Braga, tal como o seu pai e, mesmo vivendo fora de Braga, numa terra de muitos benfiquistas, mantem-se fiel ao seu clube, deslocando-se ao estádio, pelo menos de quinze em quinze dias para acompanhar a sua equipa. Na escola, todos os colegas são benfiquistas, portistas ou sportinguistas e o Pedro habituou-se a perder todas as discussões futebolisticas dos intervalos das aulas à segunda-feira. Mesmo quando o seu Braga obtém grandes resultado no fim de semana anterior a essas fatídicas segundas-feiras, o Pedro perde sempre porque, se é verdade que contra factos não há argumentos, também é verdade que contra uma maioria ofuscada pela cegueira, não há argumentos que valham a ninguém.


A caminho de casa o Pedro imagina-se com a bola nos pés, emblema ao peito, o estádio 1º de Maio a vê-lo jogar e ele... A marcar, a marcar muitos golos. Fantasia acerca dos festejos que irá fazer, os golos que irá marcar, as lágrimas de alegria no momento do golo do título que o próprio irá assinar.Um dia, numa época menos boa do seu clube, influenciado pela cegueira dos amigos e em vésperas de um jogo grande, o Pedro pergunta ao pai:

- Porque é que somos do Braga? Se calhar nunca vamos ser campeões e este ano ainda vamos mas é para a segunda.

O pai explica que mais do que procurar vitórias com o nosso clube, devemos acreditar nele, porque acreditar em algo que é nosso, algo que de certa forma simboliza os nossos valores, a nossa região e os nossos interesses, é acreditar em nós próprios. Torcer por aqueles que ganham, simplesmente porque ganham, é não ter carácter. É procurar vitórias naquilo que não é nosso, é procurar vitórias a todo o custo quando não as temos noutras ocasiões da nossa vida. As vitórias devemos procurá-las no nosso dia-a-dia. No desporto são importantes, sabem bem, mas não são fundamentais ao nosso desenvolvimento e realização enquanto seres humanos.

O Pedro ouviu estas palavras, entendeu o seu pai, mas quando se tem oito anos e se quer ser o maior entre os amigos, as pequenas vitórias são importantes, principalmente as vitórias desportivas.Pensou para si e tomou uma decisão. Deixaria de ser bracarense e passaria a torcer pelo tal clube "grande" que iria visitar o Braga naquele fim de semana. Não comunicou a decisão ao pai, mas sabia que mais tarde ou mais cedo se iria manifestar a favor da sua nova equipa no estádio.

Chega o dia do jogo. Desta vez não levou o cachecol. Sentado na velha pedra do 1º de Maio assistiu calmamente ao aquecimento.

Porém, na altura da entrada em campo das equipas (na altura entrava uma de cada vez), algo insólito aconteceu. O Braga entra em campo, as bandeiras e os cachecóis bracarenses agitavam-se e o Pedro sentiu vergonha de não ter trazido o seu. Sentiu que aquela era a sua equipa, aquele o seu povo, aquela era a sua terra e as lágrimas começaram a correr secretamente pela sua face. Ninguém reparou. Chorou baixinho e jurou nunca mais trair a sua equipa, nunca mais trair o que era seu, o seu povo, a sua cidade, a sua gente.

Os anos passaram e hoje o Pedro tem vinte e cinco anos. O sonho de jogar pelo Braga foi-se desvanecendo talvez pela falta de jeito para representar um clube de tal dimensão e porque a vida o levou para outras opções profissionais. O Pedro agora vive em Braga e continua a ir a todos os jogos do Braga, com o pai e o irmão, e mais do que nunca acredita num Braga campeão. Não vai ser ele a marcar o golo do título. Mas espera estar no estádio a festejar quando esse dia chegar.

Dedico esta história, a minha história, a todos aqueles que acreditam nos seus clubes, nos clubes das suas terras, das suas gentes, das suas raízes, sejam essas pessoas do Braga, do Guimarães, do Boavista, do Porto, do Sporting, do Benfica, de qualquer outro clube. Mas escolham aquilo que é realmente vosso e que vos representa. Ser de Braga e torcer por um dos chamados "grandes" é o mesmo que ser português e torcer pela selecção espanhola ou outra qualquer.

terça-feira, janeiro 11, 2005

Por um Canudo??? Porquê?

Caríssimos amigos
Certamente estarão desejosos de saber o porquê deste blog se chamar "...Por um Canudo". Pensem bem... Não! Resposta errada, isto não tem nada a ver com charros!
Por um canudo é apenas uma ligação que eu pretendi fazer com a cidade de Braga. Sendo eu um bracarense dos cinco costados (eu tenho cinco - é um defeito genético e olhem que não é a única coisa que tenho a mais), pretendi arranjar um nome que me atribuísse automaticamente esta minha característica (que eu tanto prezo) de trocar os v's pelos bs, "tais a ber?"
Ao mesmo tempo, este é um nome que lembra voyerismo, ver, olhar atento, apreciar, criticar...
Claro que não vou falar apenas de Braga. Se me dedicasse a falar somente de Braga, cairía no risco de ser acusado de ligações perigosas à cidade, ou seja, já há por aí umas más linguas a dizer "Acho que ele a anda a comer...". Por acaso uma altura cheguei a provar umas pedras da Sé e aquilo faz cá uma impressão nos dentes!
Bom, agora que já sabem o porquê do nome "...Por um Canudo", vão espreitando por aqui.

segunda-feira, janeiro 10, 2005

O meu novo Blog...

Tenho um novo blog e perguntam vocês:
- Será que desta é de vez?

Pois é, pois é... Vamos ver, mas a avaliar pela onda de entusiasmo que muitos me demonstraram quando eu disse "Vou criar um novo blog!", este vai ser realmente um grande blog. Quando Deus disse "Vou criar o mundo", não teve sequer metade das boas reacções que eu obtive com a minha frase! Tudo bem que na altura ainda não havia ninguém para rejubilar de alegria. De qualquer das formas, ei-lo, aqui está ele, novinho em folha e pronto a estrear!

Deixo em seguida algumas das reacções mais importantes ao anúncio desta criação:

- "A cereja que faltava em cima do bolo da desinformação em Portugal." (Time)

- "Não preciso de viver mais. Depois do nascimento deste blog posso morrer descansado." (anónimo bombista palestiniano)

- "Fiquei radiante quando o próprio autor me deu a notícia, às 4 da manhã no quarto de um hotel na riviera francesa. Ele é um querido!" (Kylie Minogue)

- "Vou passar a visitar este blog todos os dias antes das minhas orações" (J.P. II)

E mais não digo porque até tenho medo que pensem que me estou a gabar.